segunda-feira, julho 22, 2024
InícioCidadaniaCidadania premia com ‘Selo Empresa Amiga da Mulher’ seis iniciativas que fazem...

Cidadania premia com ‘Selo Empresa Amiga da Mulher’ seis iniciativas que fazem a diferença em MS

Licença menstrual, programa de prevenção ao câncer, projeto que transforma a vida das mulheres e que fortalece a vocação delas dentro do ambiente acadêmico. Na última quinta-feira (14), a Secretaria de Estado da Cidadania premiou, com o “Selo Social Empresa Amiga da Mulher”, seis iniciativas que fizeram e estão fazendo a diferença na vida de mulheres sul-mato-grossenses.

Na quarta edição, a solenidade de entrega do selo foi realizada no Centro de Convenções Rubens Gil de Camillo, dentro da programação do encontro estadual de gestoras, em Campo Grande, que tem como tema a campanha de março do Governo do Estado “Todas diferentes, todas importantes – Mulheres em foco”.

Subsecretária de Políticas Públicas para Mulheres, Manuela Nicodemos Bailosa fala da importância de reconhecer empresas parceiras. (Foto: Matheus Carvalho/SEC)

Subsecretária de Políticas Públicas para Mulheres, Manuela Nicodemos Bailosa explica que reconhecer boas práticas de empresas e instituições que pensam sobre e para as trabalhadoras, dentro da perspectiva do respeito, da cultura do não-assédio e da equidade de gênero, é fundamental para as políticas públicas.

“É um processo que incentiva também mais empresas a desenvolver relações de consciência social e de práticas mesmo inovadoras que promovam esse tipo de atitude empresarial, como a equidade de gênero, valorização pelo fim da violência, pelo fim do assédio e várias outras práticas”, enfatiza Manuela.

Selo Social

Criado em 2020 pela Subsecretaria de Políticas Públicas para Mulheres, o Selo Social Empresa Amiga da Mulher vem desde 2021 premiando empresas em todo o Estado. 

“A gente não vai conseguir transformar a sociedade sozinha enquanto poder público. Então, é necessário estabelecer parcerias entre instituições públicas  privadas para a construção, para a transformação social e uma cultura de paz, de igualdade e de equidade de gênero. Nesse sentido, compreendemos a importância de envolver e ter uma estratégia para estimular a consciência social dessas empresas”, completa a subsecretária.

Neste ano, foram contemplados seis projetos: 

  • Licença Menstrual- da Empresa DIGIX –  CG-MS

Objetivo: A licença menstrual reforça a inclusão, ao aceitar as diferenças biológicas no ambiente de trabalho e, ao conceder este benefício, reconhecemos que estes sintomas são reais.

  • Outubro Rosa – Empresa: SHOPPING CAMPO GRANDE- CG-MS

Objetivo: atingir as colaboradoras do Shopping Campo Grande com informações sobre a saúde da mulher e prevenção do câncer de mama e câncer de colo de útero.

  • Transformando Vidas com Equidade de Gênero – Empresa: Brenco – Unidade Costa Rica

Objetivo: realização de programas de desenvolvimento profissional para mulheres, palestras e workshop, sobre igualdade de gênero, violência doméstica e empoderamento feminino, políticas claras e procedimentos para denúncias de assédio e prevenção, incentivos para a participação em cargos de liderança, vagas de trabalho para mulheres em situação de violência.

  • Transformando Vidas com Equidade de Gênero – Empresa: Agro Energia – Unidade Nova Alvorada do Sul

Objetivo: realização de programas de desenvolvimento profissional para mulheres, palestras e workshop, sobre igualdade de gênero, violência doméstica e empoderamento feminino, políticas claras e procedimentos para denúncias de assédio e prevenção, incentivos para a participação em cargos de liderança, vagas de trabalho para mulheres em situação de violência.

  • Programa Sou Mulher –Empresa: UFMS

Objetivo, fortalecer um ambiente propício para que a mulher exerça a sua vocação, o seu trabalho, o seu estudo, de forma ampla e sem correr riscos ou enfrentar desafios impostos pelo fato de ser mulher. Assim, o programa visa atuar em diferentes áreas de atendimento, conhecimento e valorização das mulheres, atrelando a iniciativa aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS 5):  alcançar igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas.

  • Transformando Vidas com Equidade de Gênero- Empresa: Usina Eldorado-Unidade Rio Brilhante

Objetivo: realização de programas de desenvolvimento profissional para mulheres, palestras e workshop, sobre igualdade de gênero, violência doméstica e empoderamento feminino, políticas claras e procedimentos para denúncias de assédio e prevenção, incentivos para a participação em cargos de liderança, vagas de trabalho para mulheres em situação de violência.

Iniciativas Premiadas

CEO da Digix, Suely Almoas conta com orgulho que a empresa foi a primeira de tecnologia no Brasil a implementar a licença menstrual. 

“Acredito que a maior importância de implementar políticas públicas para as mulheres dentro dos empregos é justamente demonstrar que é possível a gente estar em posições de poder através da nossa própria vulnerabilidade. Ou seja, mostrar que apesar de todas as diferenças que tem, porque somos diferentes, mulheres são diferentes, que a gente realmente pode acolher esse nosso feminino, mas que isso também não faz com que a gente não esteja nessas posições”, frisa.

Outro projeto a ser reconhecido foi o Outubro Rosa, desenvolvido com as mulheres do Shopping Campo Grande. Analista de gente e performance, Mauriene Moura explica que as mulheres foram convidadas a participar de uma palestra que não só orientava sobre o câncer de mama e de colo de útero, como também trouxe para dentro da unidade, equipe de enfermagem para falar e ensinar o autoexame. 

Subsecretária Manuela Nicodemos, secretária de Estado Viviane Luiza, reitor da UFMS, Marcelo Turine e demais representantes da Universidade recebendo o Selo Empresa Amiga da Mulher. (Foto: Matheus Carvalho/SEC)

“Orientamos sobre como prevenir, onde procurar informação, como fazer o autoexame, e foi uma troca bem bacana porque durante as palestras, as funcionárias super se identificaram, algumas já viveram, já passaram pelo câncer, então teve essa troca de experiências e foi bem produtiva porque não foi só informação por parte das professoras, foi uma troca de vivências também”, ressalta Mauriene.

Para a analista, reconhecimentos como este não só fortalecem a empresa como deixam o grupo mais unido. “A gente tem mais vontade de continuar, de fazer projetos melhores, para dar a essas mulheres a informação, para que elas consigam se cuidar, e cultivar o amor próprio em primeiro lugar”, completa.

Pela UFMS, a diretora de inclusão e integração estudantil, Luciana Contrera, enfatizou que todas as empresas e instituições estavam ali para reconhecer e aplaudir as práticas inovadoras e os programas educativos que têm sido implementados em Mato Grosso do Sul.

Hoje somos testemunhas do poder transformador que as iniciativas públicas e privadas podem exercer quando se comprometem com a promoção da equidade de gênero e o respeito aos direitos humanos. O edital que conduziu a seleção das empresas contempladas reflete o compromisso sério e urgente com a igualdade de gênero, incentivando a comparação e valorização da mulher no mercado de trabalho, combatendo principalmente o assédio moral e sexual no ambiente de trabalho e também a igualdade salarial, valorizando a gestante no ambiente de trabalho. Essas empresas não apenas cumpriram os requisitos estabelecidos, mas também foram além, demonstrando um compromisso genuíno com a causa da igualdade e justiça social”, descreve a diretora.

Sobre a iniciativa premiada, “Sou Mulher UFMS”, Luciana Contrera explica que o programa tem sido um ponto focal em esforços para criar um ambiente de trabalho inclusivo e acolhedor para todas as mulheres. “Proporcionando oportunidades de crescimento, reconhecimento e respeito mútuo, com tolerância zero para toda e qualquer forma de violência e assédio no ambiente de trabalho”, completa.

Para a secretária de Estado da Cidadania, Viviane Luiza, é importante frisar que o Dia 8 de Março, marcado neste ano pela solenidade de entrega do selo e do encontro de gestoras, não é nenhuma celebração. “Precisamos olhar na história, e é em 1857, quando um grupo de mulheres reivindica o coletivo. É como eu vejo hoje, todas as empresas que estão aqui, as gestoras trabalhando pelo coletivo feminino e pela equidade de gênero”.

Paula Maciulevicius, Comunicação SEC

Fonte: Agencia de Notícias – MS

VEJA TAMBÉM

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais Matérias

Comentários