segunda-feira, julho 22, 2024
InícioCapitalEscolas de MS têm mais presença policial que auxílio de psicólogos

Escolas de MS têm mais presença policial que auxílio de psicólogos

Conforme o Censo Escolar, Mato Grosso do sul está em terceiro lugar, no ranking entre cinco Estados do país que lideram no número de guardas e seguranças patrimoniais, enquanto os psicólogos representam apenas 16% . O dado foi divulgado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Ao passo em que a segurança é considerável, no país o que corresponde a 22% de aumento da presença de guardas nas escolas em se tratando de cuidados mentais, em Mato Grosso do Sul a presença do psicólogo corresponde a apenas 16%.  

Ainda, de acordo com o Inep, Mato Grosso do Sul possui 1.789 escolas públicas e privadas com educação básica. O Censo Escolar referente ao ano de 2023, indica que profissionais aptos para lidar com a saúde mental, representa apenas 16% nas instituições de ensino.

Fonte: Inep

Já no referente a segurança são 55,3% de Guardas Civis Municipais (GCM) resguardando estudantes e educadores. 

Escolas com psicólogos:

  • Alcinópolis 80%
  • Maracaju 53,3%
  • Campo Grande 31,7
  • Dourados 7%
  • Corumbá 4,8%

“O Censo Escolar da Educação Básica é uma pesquisa estatística anual coordenada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e realizada em parceria com secretarias estaduais e municipais de educação, escolas públicas e privadas de todo o País. O levantamento permite a produção e avaliação de estatísticas das condições de oferta e atendimento do sistema educacional brasileiro na educação básica, reunindo informações sobre todas as suas etapas e modalidades de ensino e compondo um quadro detalhado sobre os alunos, as turmas, os profissionais escolares em sala de aula, os gestores eas escolas”. 

Violência nas escolas

As denúncias de casos envolvendo violência nas instituições de ensino de Mato Grosso do Sul tiveram aumento de 13,48% em 2023, em comparação com o ano passado, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (3) pelo Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania (MDHC).

De janeiro até outubro de 2023, foram realizadas 143 denúncias pela Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos, por meio do Disque 100. Em todo o ano de 2022, foram 126 denúncias.

Importante ressaltar que esses dados são relativos apenas as denúncias realizadas pelo Disque 100, podendo o número de casos ser ainda maior, já que nem todos são denunciados ao Ministério.

Em todo o Brasil, o Disque 100 registrou 9.530 denúncias um aumento de cerca de 50% em comparação ao período anterior, quando mais de 6,3 mil denúncias aconteceram.

Disque 100

Canal de denúncias sob a responsabilidade da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos do MDHC, o Disque 100 recebe, analisa e encaminha denúncias de violações.

O serviço gratuito pode ser acionado por meio de ligação gratuita, WhatsApp (61) 99611-0100, Telegram (digitar “direitoshumanosbrasil” na busca do aplicativo), site da Ouvidoria e aplicativo Direitos Humanos Brasil.

Em todas as plataformas, as denúncias são gratuitas, anônimas e recebem um número de protocolo para que o denunciante possa acompanhar o andamento diretamente com o Disque 100, de forma gratuita, por telefone fixo ou celular. Basta ligar para o número 100 para fazer o acompanhamento.

Fonte: Correio do Estado

Fonte

VEJA TAMBÉM

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais Matérias

Comentários